Viemos do Amor e para Ele voltaremos

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

Nesta quarta-feira (16/09/2020) na capela da Comunidade de São Pio X teve lugar a Santa Missa no 7º dia da Páscoa de Maria da Guia Araújo de Lucena, pioneira desta associação de fiéis.

A celebração foi presidida pelo Padre Rodolfo Lucena e concelebrada pelo Monsenhor Antônio Apolinário; e como leitores e animadores litúrgicos os membros associados.

A virtude teologal do Amor Caridade foi a temática elucidada na Memória de Litúrgica dos Santos Cornélio e Cipriano, nesta quarta-feira da 24ª semana do Tempo Comum.

Em sua homilia, o padre Rodolfo se referindo a primeira leitura afirmou que “quando compreendemos o amor, compreendemos todo o mistério do amor caridade. Fomos Criados no Amor, pelo Amor e para o Amor. Só subsistira o amor.”

O sacerdote afirmou ainda que viemos do Amor e iremos para o Amor. Foi quando fez referência a Maria da Guia ou dona Guia, como carinhosamente era chamada.

“Ela viveu nesse amor” e isso, segundo o presidente da celebração era comprovando pelo “testemunho da paz que sentia quando falávamos com ela.”

Fazendo referência ao último versículo do trecho do Evangelho segundo São Lucas (7,31-35), disse ainda que dona Guia era “uma mulher sábia”. Foi quando fez memória de Antonio Lucena, seu esposo. Quando afirmou que a Obra que surgiu do “sim” de Antônio Lucena aconteceu também pela grande mulher que tinha ao seu lado.

E completou dizendo, “eles morreram cercado daquilo que semearam durante a vida.”

A celebração transcorreu segundo a previsão dos ritos e depois da comunhão e oração final, o padre Rodolfo concedeu a palavra ao Monsenhor Antônio Apolinário. O decano sacerdote da diocese afirmou que todo o zelo, carinho e fé testemunhado por dona Guia são certezas que pacificam o coração daqueles que choram a saudade.

Ainda neste momento, o Moderador da comunidade e neto de dona Guia, Gustavo Lucena, agradeceu a todos os irmãos da comunidade, familiares e aos sacerdotes presentes. Destacou que a paz que sentem no coração, mesmo enlutados é consequência da fé que seus avós professaram e que foi testemunhada entre os membros da comunidade.

A celebração foi encerrada por volta das 21 horas e nela foram observados todos os critérios de segurança sanitária indicados pelo normativo da Diocese e também propostos pelos órgãos públicos.

 

 

Por: NAMIS

Fotos

Open chat
Olá, irmã(o). Em que posso lhe ajudar?